Home DicasCias Aéreas Corra que a conexão vem aí!

Corra que a conexão vem aí!

por Fernanda

Eu moro em Curitiba, então conexões e horas mofando em aeroportos sempre fizeram parte da minha vida. Quando eu compro passagens separadas de Curitiba para Guarulhos coloco no mínimo 4 horas de intervalo entre a chegada em Guarulhos e a partida para qualquer lugar. Já diriam os gringos: better safe than sorry, ou o nosso “melhor prevenir do que remediar”.

Pesadelo dos Voos em Conexão

Agora quando quem determina o tempo de conexão é a companhia aérea que comprei a passagem “conjugada”, as coisas mudam de figura. Comprei as seguintes passagens com a Air France:

– ida São Paulo – Paris

– volta Lisboa com conexão em Paris e Paris – São Paulo

Costumo comprar passagens com múltiplos destinos para facilitar minha vida e baratear a viagem. Até aí estava tudo bem tranquilo e quase perfeito. Mas na empolgação de voltar para Portugal depois de cinco anos, não me dei conta que a minha conexão de Lisboa para Paris tinha apenas uma hora de duração. A chance de perder o voo era alta. Qualquer atraso em Lisboa poderia comprometer – e muito – a minha entrada no avião em Paris.

Meu voo de Lisboa para Paris saía às 6h. Acordei às 3h para chegar no aeroporto às 4h. Eu fiz minha parte. Cheguei com antecedência, despachei as bagagens, pedi para me colocarem nas primeiras filas para eu sair antes do avião. E deu tudo certo. Ufa!

Avião chegou em Paris às 9h15, exatos 15 minutos antes do programado. Tudo parecia estar dando certo.

Parecia tempo suficiente para andar até o próximo portão de embarque. Pois é! Parecia.

Depois de míseros cinco minutos de caminhada dentro do aeroporto me deparo com uma multidão parada. Quando falo multidão, é multidão mesmo. Ninguém se mexia, ninguém sabia o que estava acontecendo. Não tinha um funcionário do aeroporto ou da Air France para auxiliar as pessoas ou pelo menos dizer o que estava acontecendo. Depois de uns bons vinte e cinco minutos parada nesse lugar, comecei a enxergar o que parecia ser a fila da imigração. Como o passaporte não foi carimbado em Portugal (coisas do Tratado de Schengen), ele precisava ser carimbado em Paris. O problema é que todos os passageiros de todas as conexões daquele terminal também precisavam ter seus passaportes carimbados e a grande maioria deles também tinha um voo para pegar dali quarenta minutos (ou menos).

Já comecei a fazer planos do que faria no meu dia extra em Paris já que estava evidente que não conseguiria chegar a tempo no avião. A fila andava tão devagar que dava para ler um livro durante a espera.

Lá pelas tantas esbarrei em um funcionário do aeroporto e perguntei se tinha alguma fila prioritária para quem tinha conexão curta e iria perder o voo. Ele basicamente riu e falou – você e todo mundo então? Perguntei se aquilo (multidão, caos e etc.) era algo excepcional e ele respondeu que era assim todo dia e a Air France sabia. Ok, comecei a ficar nervosa.

Por mais que eu quisesse ficar uns dias a mais na Europa, admito que estava só o pó, mais cansada que o cirurgião plástico da família Kardashian e chegar em casa e tomar um banho no meu próprio banheiro era algo que eu queria muito.

Sei que levei quase uma hora nessa fila. Nessa altura do campeonato já tinha feito amizade com outros brasileiros na mesma situação e só nos restava apostar se a Air France ia atrasar o voo por nossa causa ou não.

Quando finalmente o cara carimbou meu passaporte olhei no painel e meu voo já estava no vermelho – last call. Última chamada!

Confesso que saí correndo já querendo escutar meu nome sendo anunciado nos alto-falantes. Doce ilusão! Além do meu nome não estar sendo chamado, eu ainda nem estava no terminal que deveria estar.

Corre mais um pouco porque a conexão vem aí! Onde fica o terminal 2E? Portão M? E começa a correria forte no aeroporto. Era um tal de seguir placa e ficar na esperança “que estávamos quase lá” quando percebemos que precisávamos de um ônibus para chegar no terminal.

Fala sério! Ônibus?

Nessa altura do campeonato, os outros brasileiros já tinham corrido mais do que a gente (eu e quem eu estava conversando na fila) e conseguiram pegar o ônibus. Só me restou esperar o próximo. Quando ele finalmente chegou, mais dois brasileiros se juntaram a nós e agora já éramos cinco. Será que a Air France tinha esperado a gente?

Chegamos os cinco esbaforidos e acho que foi a recepção mais VIP que já tive em um portão de embarque: uma funcionária nos esperando: “só faltavam vocês”. Nunca entrei tão rápido em um avião e ainda pela primeira classe. Consegue imaginar a cara de “felicidade” dos passageiros que já estavam no avião há mais de uma hora nos esperando? Sim, a Air France atrasou o voo para nos esperar.

No fim, deu tudo certo. Quer dizer, quase. Graças ao atraso que não tive culpa, tive que viajar a 10 fileiras de distância da minha mala de mão, tive que pedir para a passageira que estava no meio da minha fileira para, por favor, voltar ao assento dela já que eu estava no corredor e ainda tive que aguentar a “mágoa” dessa mesma passageira que não ficou muito feliz porque eu não quis trocar o assento do corredor pelo assento do meio e me incomodou o voo inteiro pedindo para levantar. Falando sobre as delícias de um voo longo diurno (só que não).

Sobre conexões: Air France, por favor, mude o horário desse voo de Paris (AF 0456) porque ninguém merece fazer essa maratona no aeroporto quando não é maratonista. E para todo mundo: se você quer saber se uma hora é tempo suficiente para conexão na Europa: não, não é. Na dúvida, se você está comprando os trechos separadamente, coloque no mínimo 3 horas entre um voo e outro.

Observação: não estou exagerando. O índice de reclamação desse voo – em específico – é altíssimo. Só olhar no Reclame Aqui e ver a quantidade de gente que perdeu o voo. Em tempo, no meu próprio voo tinham vários passageiros que haviam perdido o voo no dia anterior e tiveram que ser realocados no meu.

32 comentários
0

Artigos Relacionados

32 comentários

Martinha Andersen 28 de setembro de 2016 - 09:49

Air France consegue se superar.. eu nunca tive problemas com eles, mas conheço muita gente que teve. Que bom que no fim deu certo.
E desculpaê, ri muito com o “mais cansada que o cirurgião plástico da família Kardashian”.
Bjokas =)

Reply
Fernanda 28 de setembro de 2016 - 09:51

Foi f…Air France realmente conseguiu se superar. O pior de tudo foi a cara dos passageiros super felizes (sqn) de terem que ficar mais de uma hora esperando dentro do avião.

Reply
Ana Claudia 28 de setembro de 2016 - 09:57

Nossa!!! Fiquei tensa só em ler, rs.
Já perdi um vôo em São Paulo e foi uma experiência horrível, tive que ficar em Hortolândia por dois dias porque não havia vaga nos voos que iam pra minha cidade.
Você teve sorte! Que bom, rs

Reply
Fernanda 28 de setembro de 2016 - 15:22

Minha maior preocupação era essa. Meu voo de Guarulhos para Curitiba tinha sido comprado separadamente. Se eu perdesse o voo em Paris teria que comprar um novo voo para Curitiba no dia seguinte e sei lá quanto iria custar a “brincadeira”.

Reply
Lucia 28 de setembro de 2016 - 12:35

Fernanda vc tava com passaport brasileiro?? Ou o passaporte europeu só não é carimbado na saída do país de origem ( ex. Seu passaporte é italiano, se estiver vindo da Itália p o Brasil eles não carimbam seu passaporte)
?

Reply
Fernanda 28 de setembro de 2016 - 15:20

Passaporte europeu não é carimbado na Europa. Não tinha sido na entrada e já sabia que não seria na saída. Estava com o passaporte italiano, mas viajando com brasileiros. No momento do desespero e da correria achei melhor permanecer na fila dos não europeus com eles e se perdêssemos o voo perderíamos juntos. Achei que não faria sentido ir para a fila dos europeus (mais rápida, fato!) e correr sozinha sem saber se eles iriam conseguir pegar o voo ou não. Permanecemos no “mesmo barco” até o fim.

Reply
Gabi 1 de maio de 2017 - 17:23

Entregaram no apto da minha amiga onde eu fiquei quase 24h depois que eu cheguei. Fiquei puta porque o cara daqui me chama e diz “não sabemos o que aconteceu, mas sua mala não chegou”. Aí eu falei “claro que sabemos, né.. a conexão mal deu tempo pra eu entrar, claro que a mala simplesmente não chegou”. E eles deram uma risadinha de canto de boca, porque é isso mesmo. E em Paris um monte de gente naquele bololo de gente puta, quase perdendo conexão, e quando a gente ía com o bilhete pro pessoal do aeroporto, só falavam “wait here”. Stress altamente desnecessário. E depois, o funcionário da Air France que me acompanhou em GRU até a receita (porque você tem que assinar um papel dizendo que a mala que vai chegar não contém bens a declarar) acabou soltando que estão querendo antecipar esse voo de Paris, de maneira que o tempo das conexões diminuiria mais. Pra que?

Reply
Fernanda 1 de maio de 2017 - 17:46

Como assim antecipar? Ridículo isso. Você chega praticamente passando mal no avião depois de tanta correria no aeroporto. E é algo do aeroporto de Paris, porque já fiz conexões ainda mais curtas em outros aeroportos e nunca vi tamanha zona na imigração como no de Paris.

Reply
Gabi 28 de setembro de 2016 - 14:14

Nossa, eu imagino a tensão. Não gosto mesmo de fazer conexão apertada, mesmo quando o voo foi comprado junto, porque no fim, a responsabilidade é da cia aérea mas quem fica estressada somos nós, né. Minha ansiedade não aguenta haha. Eu comprei um voo separado e acabei comprando com um dia de diferença, pra evitar maiores dores de cabeça.

Ps – outro dia falamos aqui das low costs. Comprei meu primeiro voo com a easy jet, pra novembro. Veremos como será a experiência haha. Bjo!

Reply
Fernanda 28 de setembro de 2016 - 15:14

Stress demais e correria com mala ainda. Um horror! Quando me dei conta já era tarde demais e a passagem já estava comprada, mas conversando com outros passageiros vi que as conexões que estavam vindo de Munique e Roma também eram apertadas.

Reply
Gabi 8 de abril de 2017 - 18:29

Estou indo pro Brasil daqui umas horas e estava crente que era por Amsterdam. Agora fui fazer o checkin, e vi que é Air France, e adivinha? Bingo, 1 hora de conexão. Vim correndo aqui olhar o post porque não lembrava mais se tinham esperado por vocês ou não… veremos qual vai ser minha “sorte”.

Reply
Fernanda 8 de abril de 2017 - 18:36

Tomara que te esperem e que a imigração não esteja a zona que estava no dia do meu voo.

Reply
Gabi 1 de maio de 2017 - 05:07

Só para confirmar: me esperaram, mas a conexão foi exatamente como a sua. Meu voo de Zurich para Paris atrasou um pouco, e quando pousei faltava menos de 40 minutos para o meu voo pro Brasil. Na hora que topei com aquele mundaréu de gente super desorganizado na imigração, reconheci o que você falou aqui. Sabia que depois que saísse dali ainda teria que pegar ônibus e afins. Foi um inferno, corri feito louca, mas deu certo. Mas adivinha? Minha mala não chegou. Por óbvio não deu tempo de embarcarem ela.

Fernanda 1 de maio de 2017 - 11:14

O que mais me revolta é que eles sabem da zona da imigração e não fazem nada para melhorar. É sempre essa correria para não perder a conexão. Que bom que você conseguiu pegar o seu voo. E a mala chegou quanto tempo depois?

JORGE FILIPE BORDALO SIMOES 29 de setembro de 2016 - 10:57

Ola Fernanda,

Bom acabei de ter essa experiencia ontem. Voo TAP0089 LIS-GRU com chegada 16h40, com conexao GRU-CWB has 17h30. Bem todos sabemos que quando entramos no Brasil, necessario Imigracao, pegar as malas e voltar a despachar malas. E percorrer do terminal 3 para o terminal 2 ou 1. Porem, partilho este caso porque a novidade e que a minha reserva foi efetuada antes de alteracao de horario de inverno. Garantido por palavra que na reserva TAP o voo se encontra com chegada a GRU has 15h40 !!!
Apenas foi descoberto quando estava despachando as malas no balcao da AZUL e que me informou que o check-in do voo de conexao correspondente ja tinha fechado.

Eu habitualmente uso 3 horas entre conexoes voltando da Europa para o Brasil, porem costumo pegar o voo TAP0082 com chegada a Lisboa has 5h30 e voo de conexao para Paris has 6h40, sem nunca ter tido problemas.
Sobre o seu pedido para a AIRFRANCE, penso que he o fato entre todas as companhias voando Brasil Europa.

Saudacoes ja de Curitiba. Fernanda deveria fazer uma experiencia tipo tour de boteco da Carol, para termos oportunidade de conhecer a Fernanda assim como outros Curitibanos.

Abraco

Reply
Fernanda 29 de setembro de 2016 - 15:00

Mas pelo menos todos os voos tinham sido comprados na mesma passagem? O da Azul também? Porque ultimamente tenho comprado os trechos CWB – GRU separadamente porque fica muito mais barato.

Ih! Eu não tenho vocação para guia! Sou tímida. rs. Deixo os tours de Curitiba com a Carol e Ledinara mesmo 😛
Fico feliz indo no delas.

Reply
JORGE FILIPE BORDALO SIMOES 29 de setembro de 2016 - 15:25

Sim, a passagem era de voo corrido adquirida pelo site da TAP. Concordo e um absurdo os voos de CWB para VCP/GRU/CGH comprados em passagem corrida, devido ao fato de adquirem por si so classificacao de voo internacional correpondente a companhia que fara o voo internacional com os beneficios. O caso da TAP he ridiculo o diferencial de preco pelas duas bagagens de 32kg comparando com AIRFRANCE ou ALITALIA ou mesmo a AIREUROPA (a mais barata atualmente)

Sobre o “tour”, nao necessariamente copiar… fazer um happy hour com users do PRECISO VIAJAR 😀
#ficaaideia

Reply
Fernanda 29 de setembro de 2016 - 15:28

Ah, eu tenho medo de fazer e ninguém aparecer. haha

E os valores são mesmo absurdos. Nessa minha última viagem a passagem ficava R$750 mais cara se tivesse saído e voltado por Curitiba. Comprei CWB-GRU e GRU-CWB separados e paguei R$150 ida e volta.

Reply
JORGE FILIPE BORDALO SIMOES 29 de setembro de 2016 - 15:38

Definitivamente se existir controlo (qtd e peso) na bagagem justifica plenamente comprar voos em separado.

Sobre a ideia do happy hour, entendo que deverei mudar a minha hastag para #eraumavezaideia

Rsrsrs
Abraco e bons posts

Reply
Fernanda 29 de setembro de 2016 - 15:41

Hahaha. Você já foi no tour da Carol?

Reply
JORGE FILIPE BORDALO SIMOES 29 de setembro de 2016 - 15:45

Sou timido, ha espera de convite rsrsrs
Minto … organizei me para ir duas vezes com 2 amigos, trabalho na regiao metropolitana e chegar ao centro has 18h30 nao da sempre.
Se voce for no proximo. Me enviei a data que vou 🙂

Reply
Fernanda 29 de setembro de 2016 - 15:56

Vou ver com a Carol quando ela volta (está na África) e quando serão os próximos, aí te aviso.

Reply
Luciana Rodrigues 30 de setembro de 2016 - 04:53

Já corri tanto para pegar uma conexão, além de ter que pedir pelamordedeus para as pessoas me deixarem furar a fila no controle da imigração… que cheguei no segundo voo com uma crise de asma! Ah! E minha bagagem só chegou no dia seguinte. Nunca mais.

Reply
Fernanda 30 de setembro de 2016 - 09:59

Com certeza, voo direto é sempre a melhor opção.

Reply
Poliana 20 de novembro de 2016 - 18:34

Fernanda! Essa é exatamente a história da minha vida hoje. Mas eu perdi o voo e tô há 12hs esperando e… contando. Poxa vida. Gostei não. Tô morta com farofa.

Reply
Fernanda 28 de novembro de 2016 - 08:39

Essas conexões da Air France são uma m…
Voei com a Emirates agora e o voo chegou bem atrasado em Dubai. A diferença é que não só a Emirates atrasou o voo para Bangkok como tinha um funcionário nos esperando na saída do avião. Furamos todas as filas de raio-x e etc e conseguimos pegar o voo.
A Air France não está nem aí. Deixa você sofrer naquela confusão e perder o voo.

Reply
Lia 20 de dezembro de 2017 - 16:00

Oi, Fernanda! Descobri seu post pesquisando sobre conexões apertadas da TAP. Já passei perrengue com a KLM. Só não perdi o voo para o Brasil porque ele também saiu atrasado! No caso da TAP, eles venderam a passagem com 1h de conexão e não tem muito o que fazer… são destinos com poucos voos da companhia: Brasília e Budapeste. O mais indicado para a volta seria eu não pegar o voo direto para Brasília e, em vez disso, decolar de Lisboa um pouco mais tarde rumo a outra cidade brasileira – para então fazer conexão no Brasil. Mas quem disse que vendem a passagem dessa forma?
Acho que as companhias fazem isso de propósito… uma espécie de “just in time” evitando “estoque” de passageiros nos aeroportos, conexões feitas por parceiras, etc… e forçam o passageiro a assumir o risco. Fazer o quê, né?

Reply
Thiago Da Da Rocha 11 de fevereiro de 2018 - 23:29

Ola Fernanda, tudo bem ? Obrigado seu texto, me ajudou mto pois estou comprando passagens de Lisboa para Sao Paulo, e as mais baratas q encontro sao as da Air France justamente com essa maldita 1h de conexao hahaha.

Por acaso vc se lembra de qual Hall do terminal 2 o seu aviao decolou para o Brasil ?? Pois no proprio site da AirFrance tem uma calculador para estipular o tempo gasto na conexao. Sera que eh tudo de proposito ?? kkkkk No caso, se vc tivesse perdido o voo, vc teria que ficar em Paris por conta propria ou a Air France arranjaria a sua estadia ??

Essa aqui eh msg que recebo qdo peco pra calcular do Terminal que o voo de Lisboa chega 2F, para o terminal 2E, dos voos intercontinentais :

“AO TERMINAL 2E
Para se dirigir ao saguão K do terminal 2E, o tempo do percurso é de cerca de 20 min e inclui a passagem pelo controle de segurança.
Para se dirigir ao saguão L do terminal 2E, o tempo do percurso é de cerca de 25 min e inclui a passagem pelo controle de segurança.
Para se dirigir ao saguão M do terminal 2E, o tempo do percurso é de cerca de 30 min e inclui a passagem pelo controle de segurança e o trajeto de trem automático.”

Obrigado mais uma vez Fernanda,

Reply
Fernanda 12 de fevereiro de 2018 - 18:18

Não lembro qual era o terminal, mas o grande problema foi o tempo que demorou para passar pelo controle de segurança.

Reply
Thiago Da Da Rocha 13 de fevereiro de 2018 - 17:47

Obrigado pela resposta, Fernanda

Reply
Fernanda 13 de fevereiro de 2018 - 22:13

De nada!

Reply
fabio machado 5 de junho de 2019 - 02:51

Adorei seu texto, pra mim isso é vida, emoção e aventura, hahahahaha, bjão.

Reply

Deixe um Comentário