Home Textos Todos os dias eram sábados

Todos os dias eram sábados

por Fernanda

Eu nunca encontrei o gênio da lâmpada, mas, caso encontrasse, saberia exatamente o que pedir. Um dos meus pedidos seria o de transformar todos os dias da minha vida em sábados.

Pensar que não faz muito tempo que eu vivi isso. E olha, só diz que não conseguiria ficar sem trabalhar, quem de fato nunca ficou sem trabalhar. Ano sabático deveria ser algo obrigatório. Deveria ser mais ou menos como nos países desenvolvidos (óbvio que não é obrigatório), mas é meio default. Os jovens terminam o ensino médio ou a faculdade e saem pelo mundo. Bom, na verdade, a grande maioria vai para a Ásia para curtir a vida loka, mas vamos abrir as mentes e pensar que a grande maioria parte numa jornada de autoconhecimento.

Foi o que eu fiz. Durante alguns anos da minha vida, abdiquei de quase tudo para juntar dinheiro. Facilitou (e muito) o fato de eu não ser uma mulher viciada em sapatos e bolsas. Também não sou do tipo que precisa ter a roupa da moda. Sou viciada em tecnologia (como toda boa aquariana), mas segurei enquanto deu para comprar todos os gadgets que eu queria. E não demorou muito até eu tirar meu plano de ano sabático do papel.

E lá estava eu, vivendo uma vida em que todos os dias eram sábados. Não sei para vocês, mas pelo menos para mim sábado é sinônimo de felicidade. É o primeiro dia de folga e aquele único dia inteiro em que você pode curtir o quanto quiser. Quer se acabar na balada? Beleza, afinal não tem hora para acordar no domingo. Quer passar o dia todo em casa assistindo Revenge? (tá, essa sou eu muitas vezes). Ok, não tem problema.

Domingo já começa a depressão. Quando toca a música de abertura do Fantástico, você já sabe que a rotina está por vir. E, no meu caso, ela é cruel.

Não durante a volta ao mundo, obviamente. Poucos dias eram segundas. Tirando um ou outro compromisso burocrático (emissão de vistos, idas ao supermercado, etc.), todos os dias eram sábados. Todos os dias eram lindos. Planos? Até existiam, mas só depois que eu acordasse. Hora para acordar? Só se fosse para fazer um passeio imperdível.

Nascer do sol em Angkor Wat no Camboja. Daqueles que valia a pena acordar cedo.

Nascer do sol em Angkor Wat no Camboja. Daqueles que valia a pena acordar cedo.

Nem rotina para o café da manhã eu tinha. Se eu estava com vontade de tomar coca-cola com pringles no café, por que não? Dizem por aí que só se vive uma vez. Não sei se é verdade, mas caso seja, posso dizer que pelo menos durante alguns bons meses da minha vida todos os dias foram sábados. E quer saber? Foram dias fantásticos!

Artigos Relacionados

7 comentários

Mari Vidigal (ideias na mala) 8 de setembro de 2014 - 18:38

Amei o post e tô contigo! Sábado é tudo de bom #porummundocommaissabados

Reply
Flávia 8 de setembro de 2014 - 19:02

Fernanda,
Fiz um post no meu blog com os meus Top 5 – Blogs de viagem e o seu está lá! Te convido a vero post e conhecer meu blog.
http://fernandaeflaviabelletti.blogspot.com.br/2014/09/top-5-blogs-de-viagens.html
Um abraço,
Flávia

Reply
Fernanda 8 de setembro de 2014 - 20:10

Obrigada pela indicação e por gostar dos posts filosóficos. rs

Reply
Claudia 9 de setembro de 2014 - 17:44

Concordo em genero, numero e grau!!! Principalmente a parte de que “só diz que não conseguiria ficar sem trabalhar, quem de fato nunca ficou sem trabalhar”.
Eu amo meu trabalho, tenho sorte. Mas passear, ser dona da propria vida sem horarios, isso nao tem preco.
Aqui em Floripa tem uma galera que nao trabalha e acha otimo. Esta cada dia numa praia, curtindo a natureza generosa dessa ilha. Mas ne, tem que trabalhar para ganhar, entao vamos la. Depois vem a recompensa maior: ferias. E muita viagem!!!

Beijos

Reply
Fernanda 9 de setembro de 2014 - 22:08

seria perfeito não trabalhar em Floripa, mas infelizmente não sou rica. rs

Reply
Adenilso 11 de setembro de 2014 - 21:39

Friday e muito boa!!

Reply
Felipe 1 de abril de 2015 - 18:01

Conheci seus blog a poucos dias, e tenho lido muito sobre suas experiências.
Vou fazer intercambio no começo de 2017 ( Ansiedade é muito grande), e lendo sobre suas viagens, tem me inspirado cada vez mais.
Muito Obrigado pelo blog.

Reply

Deixe um Comentário